Com vacinação acelerada, Dubai se torna oásis para turistas internacionais

0 Comentários

49 Visualizações

Minutos de leitura

Shoppings cheios, restaurantes abertos madrugada adentro, praias repletas de banhistas. Para os turistas, Dubai é um oásis de vida livre nesses tempos em que as restrições por conta da pandemia tornam a vida de quem viaja para passear muito mais difícil.

Não no mais famoso emirado do Golfo Pérsico: reaberto a visitantes desde agosto de 2020, Dubai é uma exceção no cenário turístico mundial. Ajuda o fato de quase 80% dos habitantes já terem sido vacinados.

Viajar na pandemia.

Nas ruas, em táxis e em lojas, não houve uma pessoa sequer que inquiri que não tenha dito já ter tomado as duas doses da vacina. Tanto que, em março, Dubai permitiu que os detentores de vistos de residentes se registrassem para vacinas, o que levou muitos indianos ricos a se deslocarem com seus jatinhos ao emirado para garantir sua imunização.

“Estamos longe do que é o turismo local, mas já vemos muitos turistas, especialmente da Europa”, diz o chef Himanshu Saini, à frente de um grupo de restaurantes de comida indiana com casas como Trèsind e Trèsind Studio na cidade. “Nossa expectativa é que nos próximos meses tudo só melhore com a proximidade da Expo 2020”.

Pessoas praticam stand-up paddle ao lado do Burj Khalifa, em fevereiro de 2021.

Investir para atrair

Dubai vai receber a próxima edição da mais importante feira mundial a partir de outubro de 2021. Adiada por conta da pandemia, a Expo 2020 será sediada no emirado por seis meses, com uma expectativa de receber 25 milhões de visitantes.

Os esforços para mostrar uma imagem de segurança para os turistas a partir de agora já é uma estratégia para a exposição, que já consumiu 16 bilhões de dólares do governo local até agora.

Skyline de Dubai, país que se tornou um oásis para os viajantes na pandemia.

Embora pareça um considerável investimento, ele ainda é exíguo se comparado ao valor que Dubai fatura somente com o turismo anualmente: são mais de 43 bilhões de dólares anuais, que representam 12% do PIB — em termos indiretos, ele pode representar até 30%.

A previsão do setor local de hotéis é que a ocupação possa chegar a até 80% nos próximos meses — atingindo a capacidade total a partir de outubro, com a Expo. Nada mal para um destino em que o turismo é uma das engrenagens da economia.

Passeio de camelo na orla de Dubai: um dos programas possíveis no emirado em plena pandemia.

Turismo superlativo

Da incrível arquitetura moderna às praias brilhantes e restaurantes e hotéis de luxo, Dubai é uma mistura elegante de urbanidade e descanso à beira-mar, o que atrai turistas com distintas prioridades — hoje ocupando o posto de quarto destino mais visitado do mundo.

Ainda assim, é quase impossível que a maioria deles não se renda aos superlativos locais: a visita à Burj Khalifa, o edifício com a mais alta torre do mundo, ou um passeio pelo Dubai Mall, também o mais extenso shopping do mundo (que abriga de aquário gigante à pista de gelo, e onde táxis cobram para deslocar visitantes entre lojas).

Embora todos os lugares estejam apinhados — e a lembrança de que há uma pandemia a assolar o mundo só volta à mente graças às máscaras nos rostos e em alguns avisos nas portas — a organização local se adaptou como poucos à era covid-19.

No espetáculo das águas luminosas da Fonte de Dubai (claro, a maior fonte do mundo), o fluxo de pessoas é controlado por estruturas de metal que as divide em cercadinhos. Para assistir ao show, é preciso ficar em um dos quadrados amarelos delimitados no chão. Quem pisa fora da linha é convidado a se retirar.

Para assistir ao show da Fonte de Dubai, cada um no seu quadrado…

Embora haja multidões, não há aglomerações, e as medidas continuam em vigor mesmo para quem já foi imunizado. Motoristas pegos com mais de uma pessoa no carro sem máscara podem ser multados em cerca de 300 dólares. Táxis também não podem levar mais de duas pessoas por carro.

Segurança para todos

“Acho que as regras são uma garantia para todos nós”, diz Kashmir, o motorista paqustanês que me leva ao hotel depois de um jantar.

“Como somos o único lugar aberto, todo mundo quer vir para cá, mas precisamos de medidas para manter Dubai seguro para todos”

Não há restrições de visitas ao emirado, inclusive para férias. Todos os visitantes com mais de 12 anos devem ter seguro médico e apresentar um teste de PCR negativo concluído nas últimas 96 horas.

Um aplicativo criado pelo governo local, o DXB Covid-19, ajuda a rastrear possíveis casos de infecção e traçar os caminhos do vírus. Ajuda no controle a política interna de administração restritiva (por vezes autoritária) do governo. Dubai é um local onde os moradores estão cientes que precisam respeitar as regras.

Mesmo que isso represente cerca de 90% da população constituída por estrangeiros em idade economicamente ativa e em condição temporária de residência. Mas a diversificação dos moradores e, mais recentemente, a pandemia têm feito o governo de Dubai abrandar algumas imposições.

As fontes de Dubai
Imagem: Tyson Paul/Loop Images/Universal Images Group via Getty Images.

Este foi o primeiro ano em que, durante o Ramadã, os restaurantes do emirado não precisaram ser cobertos com cortinas ou separados por divisórias durante o dia. Como um país de origem islâmica, o Mês Sagrado é de jejum para os muçulmanos e restringir as áreas de alimentação eram entendidas como uma medida de respeito aos religiosos.

As novas regras do Departamento do Desenvolvimento da Economia, entretanto, miram na diversidade de pessoas (especialmente turistas) que passaram a chegar a Dubai mesmo em um período considerado sagrado para os locais. Um aceno e tanto para mostrar que o emirado está cada vez mais aberto ao mundo — especialmente agora.

FONTE: https://www.uol.com.br/nossa/noticias/redacao/2021/04/25/com-vacinacao-acelerada-dubai-se-torna-oasis-para-turistas-internacionais.htm

Compartilhe