Inscrição dizendo “Cristo, filho de Maria” é desenterrada em Israel

0 Comentários

104 Visualizações

Minutos de leitura

Descoberta não apenas revelou primeira igreja bizantina no assentamento de Taibe, mas também as primeiras evidências do cristianismo

Uma inscrição grega de 1.500 anos com as palavras “Cristo, filho de Maria” foi descoberta em uma escavação na antiga vila de Taibe, no norte de Israel. Essa descoberta não apenas revelou a primeira igreja bizantina no antigo assentamento de Taibe, mas também representa as primeiras evidências do cristianismo na região.

A Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA) anunciou na quarta-feira que uma equipe de arqueólogos estava escavando antes da construção de uma nova estrada dentro da vila árabe muçulmana de Taiba, no nordeste do vale de Jezreel. Os pesquisadores descobriram a inscrição antiga desbotada em uma parede na entrada de um edifício bizantino impressionante que foi decorado com pavimentos de mosaico geometricamente projetados.

A arqueóloga Yardenna Alexandre do IAA disse ao The Jerusalem Post que a equipe sabia que esta era uma área onde muitos vestígios arqueológicos já haviam sido encontrados, mas, quando eles encontraram a inscrição “Cristo, filho de Maria”, “sabíamos que tínhamos uma igreja”. O que eles não sabiam a princípio, entretanto, era que haviam descoberto a primeira igreja bizantina no antigo povoado de Taibe e evidências dos primeiros cristãos na área.

Uma antiga bênção que protege todos do mau

A dra. Leah Di Segni é pesquisadora do Instituto de Arqueologia da Universidade Hebraica de Jerusalém. Segundo o professor, o termo “Cristo, filho de Maria” é uma saudação, ou uma bênção, lançada sobre todos os que entraram no santo edifício. Di Segni acrescentou que a inscrição confirma que o edifício era uma igreja, e não um mosteiro, porque as igrejas antigas “saudavam os crentes na sua entrada, enquanto os mosteiros tendiam a não fazer isso”.

No século 5 EC, Teodósio era o arcebispo regional da metrópole de Bet She’an, o centro da vida religiosa e capital de Palaestina Secunda, uma província bizantina de 390 EC até a invasão muçulmana em cerca de 636 EC, que incorporou Taibe. Di Segni explicou que o nome de Teodósio aparece em documentos relacionados a reuniões de arcebispos, e que as palavras “Cristo, filho de Maria” eram amplamente utilizadas no início de seus documentos. Pensa-se que o termo serviu como uma espécie de bênção, feitiço ou encantamento que servia para “proteger do mal” e, da mesma forma, é provavelmente por isso que as palavras foram originalmente instaladas acima da porta da igreja.

A Primeira Igreja Bizantina em Taibe

A bênção originalmente ficava acima da entrada da igreja, mas foi descoberta nas paredes mais modernas dela, por isso foi reutilizada como material de construção em algum momento no passado, quando o prédio desabou e foi reconstruído. Taibe era uma vila cristã no período bizantino entre os séculos V a VII e mais tarde tornou-se o local de uma fortaleza dos cruzados. O arqueólogo da IAA, Dr. Walid Atrash, aponta que, embora os arqueólogos tenham explorado o Vale de Jezreel por muitos anos, a maioria de suas descobertas está relacionada a cristãos antigos, mas esta descoberta é “a primeira evidência da existência da igreja bizantina na vila de Taibe”.

Colocando essa descoberta em um contexto histórico, de acordo com o livro de CR Conder e HH Kitchener de 1882, The Survey of Western Palestine, nos tempos antigos Taibe era conhecido como “Tubi” e estava listado entre os lugares que prestam homenagem a Tutmés III do Egito. Isso foi confirmado quando restos de sarcófagos foram encontrados a nordeste da aldeia. Esta área funcionou posteriormente como cemitério durante as eras romana e bizantina.

Times of Israel diz que as ruínas da igreja do período das Cruzadas que foram descobertas anteriormente em Taibe eram as características arqueológicas cristãs mais significativas na vila, mas, agora, esta escultura é a “primeira evidência de uma presença cristã do início da era bizantina.” E mesmo que Taibe não seja mencionado no Novo Testamento, esta inscrição singular finalmente “fechou o círculo, e agora sabemos que havia cristãos nesta área durante esta era”, disseram os pesquisadores.

Matéria originalmente publicada em Ancient Origins. Direitos reservados.

FONTE: https://socientifica.com.br/inscricao-dizendo-cristo-filho-de-maria-desenterrada-em-israel/

Compartilhe